domingo, 27 de maio de 2007

Tattoo you

Não sei se foi sempre assim, mas hoje em dia praticamente todas as pessoas falam em ter (se já não têm) uma tatuagem. É 'minha tattoo' pra cá, 'minha tattoo pra lá', 'minha tattoo' onde quer que eu ouça.

Não é nem pelo fator arrependimento, embora arrependimento seja o segundo sentimento que mais me acometa (só perde pra vergonha), mas eu não tenho intenção nenhuma de ter uma tatuagem. Por uma série de fatores: primeiro, como desenhista (cof cof) eu sei da importância do suporte na arte. Seja a tela, a parede de uma caverna ou uma folha de papel canson. Dessa maneira, chega a ser um ultraje alguém ter que desperdiçar sua arte no meu corpo (um rabisco de tijolo vermelho em um pedaço de lona seria mais honrado). Segundo, não iria gastar tempo, dinheiro e dor pra ver o desenho escorrer pela minha pele, dada sua bizarra oleosidade.

Terceiro, e mais importante, eu não vejo a menor graça. Em tatuagem nenhuma, a bem da verdade. Nunca vi nenhuma que eu pudesse pensar que trouxe algo valioso à estética daquela pessoa, porque não vejo como sendo algo bonito. Quer dizer, claro que já vi desenhos bem legais, mas não acho que aquilo seja mais bonito que a pessoa em branco. Eu sei, existem outros fatores que pesam, tem aquela moçada que quer mostrar atitude, ou marcar algo importante de sua vida. Como nada importante me acontece nem meu comportamento anda fora da completa caretice, estou cagando pra isso.

É como piercing. Não sei qual a razão de me mutilar pra anexar pára-raios ao meu corpo. Não é bonito, não é radical e não é transgressor, porque todo mundo faz. Dois amigos meus, quando namoravam, colocaram piercings nos mamilos como sendo suas alianças. Agora você imagine os dois casando, ele levantando o vestido dela na frente da igreja toda e espetando a dita aliança no peitinho, que lindo.

Quando Andy Warhol disse que no futuro todos teriam seus 15 minutos de fama, o mundo começou a reparar que sua mídia era seu próprio corpo, e aí tome parafuso e desenho pra decorar a fachada. Imagino nosso bravo prefeito Kassab baixando a lei 'Corpo limpo', e todo mundo correndo pras clínicas de remoção de tatuagem.

Taí uma coisa que eu queria muito ver.

2 comentários:

EgG disse...

Conheço algumas pessoas que pagaram uma nota pra fazer uma tatu, e mais grana ainda pra tirar depois.
As mulheres são mais discretas, de modo geral, tatuam locais estratégicos e zonas erógenas.

Thiago Padula disse...

Bem, mas uma mulher não fazer uma tatuagem em uma zona erógena é pedir pra que ninguém veja.