quarta-feira, 16 de maio de 2007

Missão: ser humano - Parte II: Padula no volante, perigo constante

Na pequena lista de passos que eu bolei para cumprir e me tornar uma pessoa, não existe propriamente uma ordem: primeiro isso, depois aquilo. Vou com o fluxo da maré. Sendo assim, eu gostaria muito que essa parte II tivesse sido 'arrumar um emprego', mas me contento com ter voltado a dirigir.

Desde que eu tirei minha carta, em 2003, eu dirigi bem pouco. Não fazia isso há dois ou três anos (acredite, é melhor pra todos), mas já estava nos meus planos voltar. Meus planos só foram bruscamente antecipados pelos apelos do meu vô, que já viveu bastante e quis ir até o posto comigo no volante.

Depois de tantos e tantos dias sem ter um volante entre as mãos e um montinho de cocô entre as nádegas, você acaba perdendo uma série de coisas: manhas, reflexos, segurança, etc. E, sinceridade, eu tenho medo de carro. Não de dirigir, em particular, tenho medo de estar em um carro. Prefiro um ônibus, um metrô ou um par de pernas. O engraçado é que eu não tinha isso, até me tornar um motorista habilitado.

Na verdade eu tenho medo de uma cacetada de coisas. Sou cagão mesmo. Mas, para ser um ser humano médio, preciso me livrar dessas bichices, e então vou continuar dirigindo. E, na moral, nem fui tããããão mal assim, o que é bem surpreendente (o carro não terminou entre a parte de cima e a de baixo de um poste, nem sobre um pedestre). Se o meu vô, depois da experiência de hoje, ainda quiser soltar o carro na minha mão, vou ter um monte de asneira pra chorar aqui no blog. Ou talvez esse seja meu último post, vai saber.

Adeus, por via das dúvidas.

3 comentários:

irmão camarada disse...

Padula?

Danizinha disse...

Aiiii amanhã é minha primeira aula ao volante.. que acha???
1 - vou em descobrir uma motorista nata
2- não vou nem conseguir ligar o carro

Faça suas apostas heehhehe

bjinhos!

bb disse...

Poxa, que bom saber que eu não sou a única que se sente assim. EXATAMENTE!