sábado, 12 de abril de 2008

Festas, topless e favelas

O site Gamespot, reconhecida referência no mundo virtual sobre games, deu uma bela cutucada na bunda da nação ao escrever, em uma matéria que tratava sobre a proibição do jogo Bully por aqui, que 'com suas enormes festas, praias de topless e favelas sem lei o Brasil tem a reputação de um lugar onde vale tudo. Bem, quase tudo'. Quando um bando de conterrâneos soterrou as caixas de e-mail dos editores do site com críticas, o texto foi alterado para 'com sua economia grandiosa, população florescente e cultura vibrante, o Brasil é um dos principais jogadores no palco do mundo. Entretanto, os fatos que estão nas notícias como suas enormes festas, praias de topless e favelas sem lei, deram a reputação - a qual muitos cidadãos acham que não merece - de ser um lugar onde vale tudo' (tradução chupada do Wii Brasil).

Pra ficar em alguns exemplos semelhantes, vale lembrar o episódio dos Simpsons no Rio de Janeiro e o filme Turistas, que representavam nossa pátria amada como um amontoado desordenado de estereótipos. Foi um falatório, de repente todo mundo resolveu achar que aqui não tinha nada disso, que ser o país do futebol automaticamente nos transforma numa nação fantástica e sem defeitos.

Há alguns pontos a serem pensados: primeiro, com relação ao Gamespot, é no mínimo sinal de problemas mentais que um veículo jornalístico se deixe levar por uma visão tão superficial sobre um país gigantesco. Segundo, ainda quero ver o dia em que vão parar de tratar o Brasil como se fosse o Rio de Janeiro. Terceiro, ainda quero ver o dia em que brasileiro vai deixar der ufanista e se tocar que, pra ficar no assunto, muito mais grave que um site estrangeiro nos ironizar é a justiça brasileira dar provas após provas de incapacidade e despreparo.

Não querem ser vistos como o país das festas, das praias de topless (alguém me diga onde, por favor) e das favelas sem lei? Preferem como?, como o país da dengue, da impunidade, da imprensa carnívora (arrá!!!)? Com todo respeito, se é pra ser assim, ainda prefiro que nos vejam como um bando de Blankas.

Se é pra achar que o Brasil é um grande Rio de Janeiro misturado com Amazônia, tudo bem, tô cagando. A gente também acha que os franceses são afetados e os americanos gordos e burros. Mas tem hora que é foda ver um bando de gente crescida brigando como criança.

Um comentário:

Morto de Frio disse...

Tiago, sinto muito, mas tá muito chato esse post. Não vou ler.