quinta-feira, 5 de julho de 2007

Se o Cristo não for uma boa maravilha, nunca mais votem em mim

Estava eu fazendo qualquer coisa quando me deparei na TV com o tal Alemão (prova irrefutável de que méritos não são requisitos para ser um milionário) fazendo campanha pra votarem na estátua do Cristo Redentor para uma das 7 maravilhas do mundo atual.

Um ligeiro recorte histórico pra vocês:

O rei Nabucodonosor, num exemplo de cavalheirismo que, thanks god, não virou moda, vendo a pobre mulher sentir saudades das paisagens verdejantes e montanhosas a que estava acostumada em sua terra Medes, mandou construir no árido terreno da Babilônia uma montanha (!), através da superposição de montanhas artificiais (formando degraus, se é que dá pra chamar assim), com um jardinzão bonito em cima. Isso tipo a uns seis séculos antes do Cristo (não a maravilha, o de osso e alguma carne) nascer.

As pirâmides do Egito, como se sabe (não é possível que você tenha cabulado todas as aulas de história, vai), eram construções tumulares, pra abrigar o corpo mumificado de algum Faraó. As três pirâmides mais famosas, Quéfren, Quéops e Miquerinos, foram justamente as maiores, e eram de uma perfeição matemática absurda, especialmente se considerarmos que fizeram isso a 4 milênios e meio atrás, tempo em que se pensava que a Terra era plana - e mesmo assim fizeram as pirâmides perpendicularmente ao eixo do planeta, tudo muito certinho, uma beleza. Hoje elas entortaram um pouco, mas porra!, elas ainda estão lá!

Certo, voltando agora. Se a gente pensar que esses dois aí em cima são maravilhas do mundo antigo, considerar o Cristo Redentor para o mesmo emprego é uma piada. Inclusive se formos ver que estão concorrendo com nossa magnífica estátua de cimento construções realmente maravilhosas, como Machu Picchu e as Muralhas da China (nesse caso, pensemos na magnitude, não no acabamento). Seria como achar que Pac-Man é o melhor jogo de todos, entende? É até legal, e tal, mas estamos falando de uma categoria que também inclui Final Fantasies, Zeldas e, não-querendo-humilhar-mas-já-humilhando, Winning Elevens.

O povo brasileiro (e eu detesto falar assim do 'povo brasileiro', parece faniquito de classe média), com o indispensável apoio da rede Globo, tem esse fetiche por se empenhar em coisas tão importantes para a vida de todos quanto a micose que está comendo a unha do meu dedão do pé. Vamos lá, gente, qual é a desse Cristo? Ele fica lá, de braços abertos, mas até aí é o jeito como ele aparece em 90% das imagens - só que dessa vez sem a cruz atrás, um deslize artístico imperdoável. Quem ele protege? Pode ver que as tomadas que mostram dele 'abraçando' o Rio são feitas sempre de dia, pois de noite conseguiríamos ver os rastros de bala rasgando o céu. Aliás, pensando assim, talvez a única coisa que o Cristo tenha em seu favor é justamente esse aspecto divino: deve ser um milagre, com tanta bala se perdendo e acertando criança mirrada de seis anos, ele com aquele corpão nunca tenha levado um tiro. Mas essa é a lei da selva, e não faz dele uma maravilha.

Post repostado porque um pau no cu deixou um comentário malicioso, se é que vocês não me entendem. Bá, sei que cê comentou e tal, mas ele se perdeu =P
Ah, e por causa do bocó, pra comentar vai ter que fazer uma autenticação rápida. Desculpaê.

4 comentários:

Felipe Sodré disse...

Grande Padula =)

EgG disse...

E não é que ele conseguiu??
E deixou comendo poeira a Estátua da Liberdade! Thanks God!

Lula disse...

E obrigado a você, povo Brasileiro!

bb disse...

OK, a nossa campanha não adiantou mesmo... mais um no ranking.