quinta-feira, 26 de julho de 2007

Road trippin'

Quando eu era criança, nem sonhava em voar de avião. Primeiro porque achava que era coisa de rico. Segundo porque tinha medo de altura - o que não chega a ser uma surpresa se considerarmos que eu tenho medo de quase tudo (embora altura seja algo que não me incomode mais). Hoje a possibilidade já não me parece tão desagradável, mas eu continuo virgem de altitude.

Até gostaria de dar uma voltinha num treco desses, mas confesso que a idéia não me deixa tão empolgado. Eu gosto de viajar, sabe, mas não pra conhecer lugares e etc, eu gosto mesmo é da viagem, do trajeto que se faz entre a sua casa e onde você quer chegar. Gosto de curtir a estrada, ver a paisagem se desenrolando ao redor, descobrir coisas do mundo que eu nem imaginava que existia, acostumado a essa redoma de asfalto e dióxido de carbono.

Eu curto mesmo viajar de ônibus, nem de carro eu sou fã. E a idéia do avião, embora muito prática, elimina dois aspectos importantes da coisa toda: a sensação de que se está sendo envolvido pelo cenário, uma vez que a paisagem se baseia a céu acima e terra abaixo; e o negócio do tempo, de você sentir que está indo pra um lugar longe, que está atravessando fronteiras desconhecidas, e, claro, de aproveitar mesmo a viagem. De avião eu vou ao outro lado do mundo no mesmo tempo em que de ônibus eu vou daqui a Minas.

Outra coisa que eu queria experimentar, e já disse em algum post no pé-na-cova fotolog, é viajar de trem. No Brasil você não encontra trens de passageiro que vão muito longe (ok, Francisco Morato é longe, mas estou falando num plano mais amplo), coisa que se acha bastante na Europa, US and A, Japão e etc. Trem é uma coisa muito velho-oeste, e, caso não tenha sido possível deduzir pelos parágrafos acima, eu adoro me sentir em uma aventura =P

Mas esse parágrafo do trem é irrelevante, eu falava do avião. Por esses dias ouvi muita gente falar que tem medo de voar de avião agora, por causa desse acidente, e por aí vai. Do ano passado pra cá, só me lembro de ter ouvido falar de dois acidentes com vítimas, aquele da Gol e esse da TAM. Mas de carro, moto e ônibus ouve-se falar diariamente de vários, fora os que você não ouve falar, mas vê com seus próprios olhos. E nesse momento eu acabo de perceber que isso não tem nada a ver com o resto do texto. Então vou encerrar por aqui, pra não ficar pior pra mim.

Um comentário:

Galião Cumbica disse...

Dizem que o melhor dia para viajar de avião é no dia seguinte a um acidente, já que as chances disso acontecer novamente são infinitamente menores.