terça-feira, 12 de junho de 2007

Lonely Hearts Club

Uma das coisas que mais me incomoda nesse mundo é como costuma-se cobrir de louros os 'vencedores' e marginalizar os 'perdedores'. Pus entre aspas porque, apesar de tudo, a vida não é uma competição. Mas perceba como as datas comemorativas, exceção feita às que celebram as minorias, são para pessoas que conquistaram algo importante na vida. Dia das mães, dia dos pais, e nessa altura até o dia do trabalho já é incalcançável pra mim.

O dia de hoje é mais um desses exemplos. Mas, cá entre nós, pra que serve essa porra de dia dos namorados? Quero dizer, já não basta o casal (vamos pensar só nessa possibilidade) ficar a vida inteira trocando carinhos e amores e presentes, porque diabo tem mais um dia pra isso? E pros coitados que não têm ninguém, que vivem de mãos dadas com a solidão, que no 12 de junho alugam um DVD de kung fu pra assistir sozinhos em casa? Esses sim precisam de atenção, de carinho, de presentes. Mas ninguém lembra deles.

Sendo assim, vou aqui eu, bem metido a besta, propor a criação do Dia dos Corações Solitários! Sim, o dia pra todos lembrarem daquela pessoa que passou incólume todo o resto do ano e que por dentro daquele bebedor de cerveja de canto de mesa existe um coração em preto-e-branco esperando por uma hidrocor que lhe venha colorir.

A data, sugestão minha, seria exatamente o 12 de junho, porque assim esse dia não seria traumático pra ninguém. Quem quiser se unir a mim nessa jornada e espalhar por aí essa nova nota de calendário põe o dedo aqui.

5 comentários:

sargento pimenta disse...

Padula eu te amo...

Danizinha disse...

hahahah adorei o comentário acima...
até esqueci o q ia escrever :p

bb disse...

E pra ajudar vai ter uma Parada, só com os (as) solteiros (as) lá na Paulista, pra rolar pegação e ver se essa raça desencalha.

Edu Melo disse...

Pais e mães, ao que me consta, são perdedores.

Daniela disse...

Podemos batalhar para virar feriado, mas seria melhor em agosto