sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

5 grandes maneiras de morrer

Antes de tudo, vamos parar com essa frescura de falar da morte. As pessoas tem tanta paunocuzice com o assunto que até chamam morto de 'falecido', como se isso fosse elegante (tipo chamar negro de afrodescendente e privada de vaso sanitário). A vida começou como uma luz no fim do túnel e terminará da mesma maneira, isso não dá pra negar nem evitar. E a morte é uma coisa bacana, só disfarçar de música pop, como fez o Titãs com Epitáfio.

Enquanto você fica aí planejando coisas como sua carreira e seu casamento, eu fico pensando na morte. E como meu mecanismo de raciocínio funciona melhor com bullets e pontos-e-vírgulas e em ordem descrescente, decidi fazer duas listas, e a primeira é a que vai abaixo: minhas 5 maneiras preferidas de morrer.

Porque pensamento positivo não mata.


5 - de november rain

Vocês se lembram desse clipe, né? Agora alguém me explica como caralho a mulher do Axl Rose morre. Ela tá lá fumando e de repente começa a chover e as pessoas começam a fugir feito loucas, e aí ela tá morta.

O que me leva a crer que a chuva de novembro é letal (setembro chove, novembro mata). Há quem diga que eu sobreviveria a uma bomba atômica (o que eu refuto: se forem sobrar no mundo Keith Richards, as baratas e eu, é melhor ir pro saco com o resto do pessoal), mas eu acho que sou frágil pra burro e poderia, sim, ser morto por uma chuvinha (sério, se você não pescou ao menos dois cacófatos infames nesse parágrafo, vá procurar ajuda). E imagino que isso seria o máximo se acontecesse no dia do meu casamento com a Cat Power Chan Marshall, porque pensa só na música bonita que ela ia compor em minha homenagem.

Ah, como eu sou patético. Sorte que morrer não tem nada a ver com merecimento.


4 - por suicídio


Aí você está no seu trabalho, batendo com o lápis na mesa e procurando todas as maneiras possíveis de procrastinar e deixar os deveres pra lá. Porque não é bom fazer algo que você não gosta, que você não quer fazer.

Por isso, se é pra fechar o bar e pôr a vida pra circular, melhor que seja por vontade própria.

Só não me vá fracassar, hein, porque isso é crime.


3 - de
tusto susto

Tem gente que adora uma brincadeirinha. Eu não, porque sou um cara sério e respeitador. Mas tem gente que adora, e curte dar sustos nos outros. Mas todo mundo já viu naqueles filmes ruins de comédia que uma pessoa pode morrer de susto. E aí, como fica a cara do palhação?

Além do mórbido prazer de ter um imbecil eternamente arrependido por ter te matado com uma brincadeirinha, você também ganha passe livre pra fazer o mesmo com ele. Puxar o pé, mover o copo, aumentar a opacidade eventualmente, são muitas as maneiras de fazer o pós vida ter alguma diversão.

E fuder com a vida dos outros é legal pra burro.


2 - pisoteado


Duvido que você, ou alguém que você conhece, nunca tenha se aventurado a imitar uma cena clássica de filme. As mais comuns são aquela na proa do Titanic em que a mulher acha que tá voando (ma é burra, hein) e a semi-pole dance de Cantando na Chuva.

Como minha erudição cinematográfica é bem pobre, vou ficar com uma cena de desenho: a morte do Mufasa em O Rei Leão. Imagina só: tamos eu e Maria andando pela rua, quando vem uma manada de corinthianos fugindo da polícia e me atropela. Maria consegue fugir mas eu, pff, já era. Então ela vai sozinha pra bem longe, fica amiga de um javali e de um suricate, e então eu apareço pra ela numa nuvem.

O que seria bizarrão, já que eu falo com ela como se fosse um retardado se fingindo de mongolóide.


1 - de overdose

Quando o menino que saiu dopado do dentista pergunta 'is this real life?', a gente percebe que essa é só mais uma daquelas retóricas que explicam o mundo com uma simplicidade absurda. E se a vida é um trilho, e a morte é a continuação da vida, morrer careta significa pegar o trem errado pro inferno. Mas morrer enquanto está chapado e, consequentemente, em contato com vida real é o rumo certo pro trem certo da morte certa.

Não sei o que diabo é isso, mas deve ser muito divertido.

9 comentários:

Tati disse...

A de susto é a melhor, pra poder aterrorizar depois...

Priscilla disse...

Vou rir por uns três dias da versão Rei Leão hauhauhauahuahuahua, vou até twittar essa :D

Suzana disse...

Antes de mais nada: vc não é um cara sério e decente e faltou muito pouco pra eu morrer naquele dia do msn. MUITO pouco. Segundo que eu concordo com seu número um, ia achar bem massa morrer que nem o menino do dentista. Terceiro que me deu vontade de fazer uma lista dessas pra não precisar trabalhar. Tiau.

Thiago Padula disse...

Só gostaria de deixar bem claro que não fui eu o autor da brincadeira que quase te matou.

Eu só sugeri a pauta.

Antonio ... disse...

Ouça "Epitaph" do King Crimson - deve ser de 1968 ou 1969.

Sobre maneiras de morrer ... Estou assistindo "Família Soprano" e me lembrei de um dos capítulos, que o mafioso que vai morrer diz "podem atirar, mas não na cara, por favor ..."

Bruna disse...

tambem sou capricorniana e te entendo...estou pesquisando as melhores maneiras...adorei as suas, minha primeira opçao tambem e essa.

Débora disse...

POis é..eu já acho mais interessante morrer por overdose. Mas e se a cara for burra feito eu e errar na dosagem?! Fica vegetando a eternidade em cima de uma cama de hospital..daí é mais foda ainda que viver nessa merda, não é???

Anônimo disse...

Acho que de overdose não tem erro! Você não vai saber que horas vai morrer! Vai aumentando até chegar ao fim! Por suicídio que é complicado! Vai que o tiro só deixa você mais retardado que agora, ai é foda! Mas pensei que fosse apenas eu que gostaria de morrer só pra não ter que trabalhar nesta merda amanhã!

Anônimo disse...

Ahh eu prefiro o suicidio!

Na verdade não um tiro, mas se jogar de 20 andares, ai não tem erro... Eu tentei fazer isso na janela do meu trampo, mas descobri que as as janelas são travadas!

Vou ter que tentar de outro prédio!