quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Pornografia, eu quero uma pra viver

Antes de começar o texto, já vou deixar algo avisado: você, menina, moça, mulher, que tem dois xis no cromossomo 23, talvez possa sentir que o conteúdo do post de hoje é um tanto indelicado. Não a repreendo, sei como é, e exatamente por isso estou aqui, gastando um parágrafo da minha vida - que pode me fazer falta no futuro, vá saber - para alertá-la do tipo de coisa que se segue, então sinta-se a vontade para não ler.

Mas, se ler, e o assunto for de seu interesse, deixe um comentário dizendo isso, tá?

Ontem estava reunido com duas amigas minhas pensando em maneiras de ficar rico com a dáblio-dáblio-dáblio. Uma delas perguntou 'do que você sente falta na internet?'.

Respondi em tom de brincadeira na hora, mas é sério: falta pornografia de qualidade na rede. Ou melhor, falta um lugar que organize a pornografia, que seja claro, limpo, bem taxonomizado, em português, gratuito e sem vírus. Seria O Portal do Punheteiro.

Já tenho essa tese pra mim há alguns anos, de que a internet é um grande mar de putaria, e de que tudo nela é um rio que encaminha pra lá. O grande motivo do fracasso do Youtube (tá, ainda é um sucesso, mas um dia vai cair miseravelmente, vai por mim) é esse pudor à mais antiga atividade humana, vide Adão e Eva. Amiga minha que trabalha com links patrocinados, sites de busca e tal, disse que as palavras mais procuradas são sempre relacionadas a isso - mesmo que elas não tenham relação nenhuma com a campanha em si.

Veja quanto ganha uma atriz de filme pornô, veja quanto ganha uma baranga famosa pra posar nua. Encaremos o fato: a pornografia é o que faz o mundo andar, o fluido do amor solitário é o combustível do planeta. Organizar isso de maneira, ahn, organizada e acessível pra todo mundo é um passo importante pra virar um mártir do mundo virtual. Você provavelmente não iria ficar rico nem nada, mas imagine a quantidade de impérios da putaria que iriam ruir graças a essa iniciativa.

Foder com a vida dos outros não tem preço.

Um comentário:

Má disse...

Padula...a organização não é má idéia, mas não falo agora da classificação "mulher-produto",seja atriz ou baranga consumida, mas da criança e outras incoerências lógicas e psicoses que rolam soltas na net...Casos para a polícia, narcotráfico, prostituição...Não faltaria mesmo gente para te tornar o mártir do mundo virtual...ou talvez nem mártir, já que infelizmente seria o leão pisando na formiga que nem vê!É foda...mas se quiser ajuda, sou uma formiga tb...hehehe..Beijo!Voltei!