domingo, 5 de setembro de 2010

Escrevendo o testamento

Pois agora o Blogger, muito gentilmente, anexou estatísticas de acesso ao seu menu de serviços (o povo do Wordpress vai começar a se gabar que lá já tinha muito antes; acho ótimo quando nego vem se achar por usar alguma coisa na internet, é bem coisa de gente que venceu na vida). Parece muito legal, só que esse é o começo do fim desse blog.

Já raspei no assunto aqui, e o negócio é que toda vez que eu tenho algum instrumento pra monitorar a popularidade de qualquer coisa que eu faça o destino é sempre o mesmo: a morte. Eu não sou popular, não sou querido e costumo ser bastante ignorado - não é mimimi, estou ciente e de acordo com isso -, mas fico paranoico pra caralho quando eu consigo de alguma maneira ilustrar isso em números. Todos meus blogs antigos faleceram porque tinham poucos acessos, meu Orkut naufragou porque eu não tenho amigos e o Vida corporativa de bosta já entrou num hiato de algumas semanas porque não consegue passar de 30 visitas por dia - tá, isso é mentira, mas é que sempre que eu dou exemplos eu dou três, e precisava de um pra completar.

E olha, eu tava bem satisfeito com o rumo que as coisas vinham tomando aqui: escrevo quando quero, não ligo se comentam ou não, e essa é a hora em que precisaria de um terceiro item pra completar minha matemática idiota dita no parágrafo anterior. Mas com esse raio de estatística eu vou ficar louco, monitorando de cinco em cinco minutos, seguindo as traffic sources, tentando adivinhar quem é que acessou o blog pelo Mac ou que navega pelo OneRiot (sério agora, quem?). Entrarei numa espiral paranoico-depressiva que culminará no fim do Vida de bosta e em algumas letras tristes de músicas no nick do MSN. O Blogger fará de mim um transexual.

Sim, eu (acho que) posso desabilitar esse bagulho. Mas por que fazer isso silenciosamente e perder todo o drama, né?

5 comentários:

Renato disse...

Duas coisas:

01. Mi-Mi-Mi sim!
02. Você já não é transexual?

Thiago Padula disse...

Escrevi esse post há dois dias, ainda não deu tempo.

Sooz Lillend disse...

eu leio pelo google reader e escapo das suas estatisticas lalalala

João disse...

Eu não sei o que é OneRiot, então se for eu o dito cujo, nunca saberás quem é esse cara.
Leio o blog algumas vezes, quando lembro, e só comecei a ler porque achei o título de um post intrigante. Só.

Fernanda disse...

Faz favor de parar de frescura e continuar.
Beijos e socos.