segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Deus está nos sinais vendendo chiclete

Eu parei de acreditar em deus quando percebi que era triste demais pra isso. John Lennon dizia que deus é um conceito pelo qual nós medimos nossa dor, mas - olha a heresia! - vou me permitir discordar. Nossa dor a gente mede pelo tamanho do nosso pênis, pelo número de ligações que a gente recebe no celular, e pela nossa insistência em não aceitar que a culpa nunca é dos outros. Deus é um conceito pelo qual nós medimos nosso medo.

Tá, que clichê, morra. Mas é que tem gente que discorda. Veja bem, e vamos deixar isso claro, não é porque eu não acredito em deus que vou negar a existência dele: são duas coisas completamente diferentes. Eu até acho que existe, contundente como uma arma apontada pra cabeça de cada um dos seus cordeiros. Pessoas são seres de quase infinitas possibilidades (serão infinitas assim que não precisarmos mais de corpos. Ou não, pois não consigo imaginar um ponto de luz dançando na boquinha da garrafa), que vão colocando tijolinhos ao seu redor pra se privar de um monte de coisas. Puro medo. Puxar uma rasteira no ceguinho? De jeito nenhum. Empurrar a velhinha na faixa de pedestres? Nananinanão. Roubar, trair, estuprar? Tá maluco.

(Embora, nesse caso, valha abrir uma exceção pro estupro sem morte, como bem dizia seu Maluf)

Tudo porque, no fim, a gente acha que deus tá olhando. O Coringa - e se você viu o último filme do Batman, vai ter isso mais fresquinho na memória - é um ser evoluído. Ele não tem tijolinhos. Ele é, como se denomina, um agente do caos. E é aí, na hora que a gente percebe que a arminha de deus que tá apontada pra nossa cabeça só dispara tiros de festim, que o bicho pega. Um sistema baseado no medo e na vigilância só funciona até que alguém o desafie e destrua (vocês leram Foucault, né? Nah, nem eu), e a gente percebe que justiça divina minha bunda, só dá pra contar mesmo é com o Batman.

Porém, mesmo assim, a popularidade do rapaz (...rapaz?) só faz aumentar. Eu não acredito, mas deus é foda.

2 comentários:

Rezão disse...

Nos sinais vendendo chiclete... Ou em todos os lugares do mundo, vendendo livros com nomes sugestivos como 'O Vencedor está só?'

João disse...

Sabia que Jesus às vezes se disfarça de mendigo pra testar a bondade dos homens?