quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Meu refrigerador funciona, sim

Outro dia estava no ônibus, a caminho de casa, e me lembrei de que tinha esse espaço aqui. Sirene. Há algumas etapas no processo de decadência e morte de um blog. A primeira é você se sentir mal por não escrever com a frequência que deveria, e então ficar postando coisas tipo 'gentem, desculpa a ausência, mas o blog volta, blá blá blá'. Essa última parte eu não faço, porque tenho princípios (tá, eu fiz uma vez, pois era uma questão séria de verdade), mas ficar me torturando por não escrever era uma constante. Quanto notei que eu tinha um blog de que nem me lembrava, plim!, pulei pra segunda etapa: desencanar.

O problema é que o mote principal dessa bagaça, que é reclamar, está sendo enfraquecido pelas circustâncias da vida. Tipo, ela continua ruim e tal, mas aconteceram coisas legais e vai demorar até eu cansar delas e voltar a achar tudo uma merda.

Primeiro, eu tenho um carro. É bem verdade que continuo a andar de ônibus (como você deve se lembrar, lá do primeiro parágrafo), mas pelo menos tenho um negócio verde horroroso e que faz sete quilômetros por litro na garagem. Já é útil na hora de me levar aos jogos do São Paulo.

Segundo, eu tenho um baixo E uma banda. Não sei porque caralhos alguém me chamou pra tocar baixo - um negócio que eu nunca toquei na vida -, mas todos os motivos em que eu consigo pensar dizem respeito à religiosidade dos colegas (satanismo é uma religião, certo?).

E, por fim, eu tenho um frigobar no quarto. RÁ! Lembra quando eu disse que não tinha nada e que a única coisa que fazia os outros terem inveja de mim era a minha mãe? Agora tem a minha mãe e <eco> UM FRIGOBAR NA PORRA DO MEU QUARTO! </eco> <pombas brancas voando />. Sério, isso é muito foda, e uma etapa crucial no meu projeto de vida.

Olha só, no meu quarto agora tem:

- Três camas (uma beliche e uma normal) e dois colchões soltos (um de casal e um de solteiro);
- Uma TV;
- Um DVD;
- Um Wii e um Playstation 2;
- Dois violões e um baixo (com amplificador);
- Uma poltrona e um bau que serve de arquibancada;
- <eco> Um frigobar </eco>

Tá, não é muita coisa, mas vem no raciocínio: assim que conseguirmos (meu irmão e eu, no caso) instalar um mictório no quarto, as únicas vezes em que precisaremos passar da porta pra fora serão para expedições esporádicas até o Econ da avenida pra comprar mantimentos pro frigobar (cerveja pra ele, Yakult pra mim). E, claro, pra cagar, já que imagine quão desconfortável deve ser mandar um barro num urinol.

Como o meu computador fica na sala, vocês terão de compreender que a situação desse blog ficará ainda mais peor. A menos que eu arranje tempo pra escrever durante o trabalho (como agora), a tendência é o intervalo entre cada post ficar maior. Mas, se serve de consolo, estão todos convidados a conhecer meu quarto <eco fraquinho, porque já tá dando no saco> com frigobar </eco fraquinho, porque já tá dando no saco> e jogar uma partida de Smash Bros. com a gente. Só não reparem a bagunça e o cheiro de mijo.

7 comentários:

Carol disse...

Só vc p/ colocar uma referência a Mutantes assim.. hahaha!!

Del Nero disse...

Mission accomplished: Injeva FUDIDA do Frigobar no quart

Edu Melo disse...

Cara. Conta melhor essa história de urinol. Tá mijando em um pinico agora?

Otávio Pacheco disse...

Você só parou de postar por causa do videogame, não adianta vir com desculpinhas, eu sei como é.

Andréia disse...

rá! sabia que a pressão via twitter iria funcionar. rs
ele escreveu. e me fez rir. e tem um frigobar no quarto. chique, hein.

Renato Sansão disse...

APOSTO que o frigobar é vermelho.

Thiago Padula disse...

Otávio, você tem toda razão. O DS tá matando esse blog, rapaz.

Rena, perdeu: é branco-encardido. Pra combinar com o Wii e com as minhas meias.