quarta-feira, 19 de abril de 2017

10!

Dia 7 de janeiro de 1995 eu fiz 10 anos. Lembro de andar na Lapa, queixo erguido, ombros pra trás, braços balançando, com a confiança de saber que eu era um ADULTO. Eu olhava para os outros adultos, torres se erguendo ao meu redor, e me sentia um deles. Eu já era meio burro na época, né, claro que eu não era adulto. Inclusive estava na Lapa porque meu pai foi comprar os chapeuzinhos de papel pra minha festa de aniversário dos Cavaleiros do Zodíaco (irada). Acho que já contei essa história aqui.

Na verdade, acho que já contei todas as histórias aqui. Porque, assim como eu naquele 7 de janeiro de 95, hoje esse blog anda pela Lapa de queixo erguido, ombros pra trás e braços balançando: sim, hoje o Vida de bosta completa 10 (dez) anos! Nossa senhora.

É estranho imaginar que durou isso tudo porque n'A Grande Era das Opiniões Não Solicitadas blogs são cidades em ruínas visitadas por turistas de férias. É difícil de acreditar, crianças, mas houve um tempo em que as pessoas iam de endereço em endereço na rede mundial de computadores procurando saber a opinião de terceiros. Sim, o masoquismo já era tendência antes de 50 tons de cinza.

Tenho vergonha de absolutamente tudo já escrito nesse blog, e a intensidade da vergonha aumenta de acordo com a idade do post. Entretanto, tá tudo aí: é um registro de quem eu era e de quem eu estava tentando ser. Quando a Grande Calamidade acontecer e tudo que meus filhos tiverem de mim forem as lembranças de eu os oferecendo em sacrifício para as bestas saídas do inferno pra me salvar, eles vão encontrar um dispositivo ancestral chamado "smartphone" e no cache de um negócio chamado "site" da entidade que fez o pacto final com Satanás permitindo assim a abertura dos portais para as trevas vão descobrir o Vida de bosta e saber quem era realmente o pai deles. E isso só vai piorar ainda mais minha já abalada reputação.

Mas, ahn, é isso. Peço desculpas pela escassez de conteúdo novo (achei um post nos rascunhos do meu email e devo publicá-lo em breve, yay). Agradeço pela atenção e pela companhia. 10 anos é tempo pra caralho, e eu sei que tem gente aí que tá lendo faz tempo. Brigadão mesmo.

E, para os que estiverem lendo isso no futuro: sigam na direção das montanhas gêmeas. Procurem numa pedra na maior clareira da maior caverna. Apenas essa espada poderá derrotar Belzegoogle. Papai ama vocês.

Um comentário:

Leon Santiago disse...

"blogs são cidades em ruínas visitadas por turistas de férias", faz uma pose pra eu postar no instagram, Padula!