quarta-feira, 11 de março de 2009

Existem mil garotas com quem eu quero passear

Eu não sou uma metamorfose ambulante, mas as opiniões que tenho a meu respeito costumam variar bastante. Hoje, por exemplo, cheguei à conclusão de que devo ser tarado. Eu me apaixono fácil demais (num jeito masculino de se apaixonar), mas ultimamente a coisa tá saindo perigosamente do controle. É ver uma mulher bonita na rua e eu estou lá, cataléptico, com a saliva correndo pelo canto da boca. Se a moça é bonitinha, meu coração bate tão forte que dá pra ver através da camiseta. Mas se a moça é linda, vamos dizer que não é só meu coração que dá pra ver pela roupa.

Ainda estou tentando entender como um ser humano atinge tamanho nível de degradação moral. Já descobri que não é carência, porque a) perguntei pra outros caras, casados e enrolados, e eles me disseram sentir o mesmo (e que a coisa só piora com a idade); e b) estou num relacionamento muito sério e sólido com a minha senhora, a mão direita.

O pior é que eu trabalho num bairro que só tem mulher bonita (ou isso ou meu filtro está deixando passar qualquer uma que não tenha uma pereba na cara ou uma tatuagem do Corinthians no braço). Não estou naquele ponto em que tenho vontade de estuprar qualquer menina no meio da rua - prefiro um lugar mais reservado, tipo um beco -, mas ainda assim me preocupo. E se tive o deslavamento de escrever tudo isso aqui, num espaço em que a maioria das pessoas que lê me conhece, é porque a doença me consome a uma velocidade impressionante.

Vou procurar um psicólogo, então se conhecerem algum bom, por favor me indiquem. De preferência se for mulher e não tiver uma pereba na cara ou uma tatuagem do Corinthians no braço.

4 comentários:

Morto de frio disse...

Então pra vc ver que o que eu te disse hoje a tarde não era uma coisa só da minha mente psicótica.

Morto de frio disse...

E foi por isso também que Os cacaveletes fizeram essa música pra Angélica:
http://www.youtube.com/watch?v=_qX0_gvYMPg

Depois copiada pelo blur

Tati disse...

Ah, se todos os homes do mundo fossem assim...

Otávio Pacheco disse...

Eu leio isso aqui e não tenho a mais tenra idéia de quem seja o senhor. E digo mais, entendo bastante o que você está passando... ultimamente tenho evitado sair de casa.