sábado, 5 de julho de 2008

Trucaraio

Uma das coisas que diferem os homens das mulheres é o respeito e paixão que os peludos têm por suas raízes símias. Enquanto as mulheres têm sempre essa coisa de se embonitecer, os homens gostam de, periodicamente, parar e buscar a paz interior através de um contato mais profundo com o australopiteco que existe dentro de cada um.

Evidência disso é o peculiar jogo chamado truco. Ali, com um punhado de cartas na mão e em volta de uma mesa qualquer que faz lembrar os planaltos da saudosa Neandertal, um agrupamento de homens encarna os mais antigos rituais de guerra, que vai desde a dominação do território (regra básica do truco, sempre fazer a primeira), os gritos primais ('truco!', 'seis!'), e, eventualmente, o golpe de misericórdia desferido pelo grupo vencedor (a fatal colada de zap na testa).

Não sou fã de truco, embora o prefira a pôquer, que é jogo de quem se penteia. Mas tenho pra mim que essa conexão com o homem-primata-capitalismo-selvagem-ôôô que o truco proporciona pode preservar o futuro da raça humana.

Vem comigo: já está mais do que provado, pelos filmes e tal, que um dia uma cambada de alienígenas vai chegar aqui e fuder com tudo. Se eles não nos dizimarem, e nos fizerem seus escravos, nós não teremos mais nossa tecnologia, nosso poder bélico, nossas esferas do dragão nossos recursos conquistados e aprimorados com o correr dos tempos. Só nos restará, então, nosso instinto de sobrevivência, o motivo pelo qual deus resolveu nos tirar uma costela e não as bolas. E aí, meus amigo, minhas amiga, aquele fiozinho de trogloditagem que permaneceu aceso dentro dos nossos corações poderá ser a chave para a libertação e o futuro da nação.

Ou não.

7 comentários:

Morto de Frio disse...

Eu nem vou comentar pq eu percebi que eu sempre me sinto na obrigação de criticar negativamente o que vc faz.

Como não quero perpetuar um clichê e elogiar seus textos envolveria uma mudnaça total nas minhas perspectivas, eu vou manter as coisas como estão.

Lílian disse...

shdoudhosauidhasoUIDHasoiudhas preconceito, eu sou mulher e jogo truco... e faço tudo isto de ganhar a primeira, gritar truco até ficar vermelha, colar o zap na testa e ainda gritar: ZAP MARRECO. Mas muitoo bom assim mesmo... =P

Thiago Padula disse...

Lílian, você está convocada para integrar o nosso exército da salvação (ou algo que o valha). Já o Morto pode voltar pro seu jogo de canastra.

Suzana disse...

Veja bem. Eu sou mulherzinha, faço depilação, passo batom e etc. Entretanto jogo truco melhor do que qualquer macho nessa terra. Colo zap na testa gritando, inclusive. Na iminência de um ataque alienígena, eu me juntaria com prazer ao exército da salvação e dava uma lavada nesse bando de ET Otário.

Thiago Padula disse...

Já tô vendo que vamo ter que depender só da mulherada mesmo. Sendo assim, minhas queridas, hora de começar a puxar ferro e se preparar pra batalha, que não tarda. Que o casal maior esteja conosco.

Lílian disse...

tô dentro!

Renato Sansão disse...

Manilha na mão, Jedi.
Pode contar comigo nessa.

MAXIMUS!!!
MAXIMUS!!!
MAXIMUS!!!!!